---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Profissionais da Secretaria de Educação de Ouro participam de capacitação sobre Autismo

Publicado em 23/07/2019 às 17:32 - Atualizado em 23/07/2019 às 17:32

     A UNOESC promoveu nos dias 18 e 19 de julho uma atividade de extensão, sobre o Transtorno de Espectro Autista (TEA), que tem por objetivo promover orientação e capacitação, bem como métodos de intervenção e triagem para o Autismo. A  Psicopedagoga Luci Spironelo Buselato e a Psicóloga Educacional Luciana Gomes de Campos, DA Secretaria de Educação de Ouro participaram deste curso.

 

     O TEA engloba diferentes condições caracterizadas por perturbações do desenvolvimento neurológico, atreladas a dificuldades no relacionamento social. Cada paciente vai exigir um tipo de acompanhamento específico, individualizado, sempre com a participação dos pais, familiares, professores, e é importante que ele seja acompanhado por uma equipe multiprofissional.

 

     Conforme destaca Scheila Beatriz Sehnem, coordenadora do curso de Psicologia da UNOESC, o transtorno se instala nos três primeiros anos de vida, quando esses neurônios que coordenam essa questão da comunicação e dos relacionamentos sociais deixam de formar as conexões necessárias, e por essa razão, muitas vezes o autismo acaba representando um fator de desequilíbrio para toda a família, por isso a necessidade de atendimento e orientação especializada.

 

     A palestrante Maria Helena Jasen de Mello Keinert trabalha a mais de vinte anos com esse público. Explicou que o mais importante para ajudar as pessoas com autismo é saber diagnosticar precocemente o transtorno, para isso é preciso saber quais são os critérios utilizados e assim poder encaminhar a criança para avaliações. Enfatizou que atualmente existe uma incidência muito alta de autismo, 1 a cada 68 nascidos. Em estudos internacionais a incidência é de 1 a cada 38.  Constituindo um número muito grande de pessoas com autismo. Sabemos que esses autistas são diferentes entre si, tem paciente com grau leve, moderado e grave, dentro do espectro autista e precisamos aprender detectar e a trabalhar com eles, e isso só é possível por meio de informação.

 

     As profissionais da SME de Ouro ressaltam que o curso sobre Transtorno de Espectro Autista (TEA), foi de grande valia, agregando mais informações e conhecimentos de como lidar com o TEA, já que na rede municipal temos vários alunos com este transtorno.


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar